terça-feira, 19 de novembro de 2019

Panquecas americanas

   Apesar de terem uma receita favorita, os meus rapazotes gostam de ir provando outras opções. Desta vez pediram uma que se pudesse comer "de faca e garfo", empilhadas. 
   Depois de muito pesquisar, optei pela receita da Raquelícias, à qual fiz algumas adaptações (nomeadamente na quantidade e leite).
   Os rapazes ficaram satisfeitos com o resultado! Assim é que nem consegui tirar uma foto de jeito, já que os pratos ficaram vazios num ápice! :-)



1 chávena (de chá) + 1 chávena (de café) de leite
2 ovos
2 chávenas de farinha de trigo
4  colheres(chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de sal
4 colheres (sopa) de açúcar
2 colheres (chá) de óleo
2 colheres (chá) de essência de baunilha


   Misture bem todos os ingredientes. Bata até que a massa esteja homogénea.
   Numa frigideira antiaderente, coloque mais ou menos 2 colheres (de sopa) de massa, sem espalhar.
Quando a massa estiver com “bolhas”, vá soltando delicadamente com a ajuda de uma espátula.
Vire a panqueca e deixe dourar.

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

A produção continua... mais um gorro "desleixado"

 E depois do gorro do G. aqui está o resultado do gorro que o A. me pediu. Claro que também tinha de ser meio descaido, tal como o do irmão ;-).




   Caso queiram replicar o esquema, vejam as medidas que deverão seguir, de acordo com o diâmetro da cabeça: 


DIÂMETRO
 MALHAS
VOLTAS 
(XS) 43-46 cm
62
16
(S) 46-48 cm
72
18
(M) 48-50 cm
88
22
(L) 53-56 cm
96
24
(XL) 56-61 cm
108
26



Um gorro desleixado


Material:
- Agulhas circulares de 4mm
- 1 novelo de fio na cor pretendida (130 m). Usei Schachenmayr Bravo
-1 marcador /
- 1 agulha de costurar lã

   Monte 62 (72, 88, 96, 108) malhas e junte-as em círculo, tendo o cuidado de não torcer. Coloque um marcador no início da primeira volta.
   Trabalhe *2 pontos em meia, 2 pontos em liga*, até ao fim da volta. 
   Repita por mais 19 voltas.

   Em seguida, trabalhe sempre em meia, até o trabalho ter cerca de 16 (18, 22, 24, 26) cm (desde o início). 

   Comece a reduzir: 

XS:
Volta 1: *3 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 2: todos os pontos em meia
Volta 3: *2 em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 4: todos os pontos em meia
Volta 5: *1 em meia, 2 pontos juntos em meia *
Volta 6: *2 pontos juntos em meia*


S:
Volta 1: *4 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 2: todos os pontos em meia
Volta 3: *3 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 4: todos os pontos em meia
Volta 5: *2 em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 6: todos os pontos em meia
Volta 7: *1 em meia, 2 pontos juntos em meia *
Volta 8: *2 pontos juntos em meia*

M:
Volta 1: *5 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 2: todos os pontos em meia
Volta 3: *4 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 4: todos os pontos em meia
Volta 5: *3 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 6: todos os pontos em meia
Volta 7: *2 em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 8: todos os pontos em meia
Volta 9: *1 em meia, 2 pontos juntos em meia *
Volta 10: *2 pontos juntos em meia*


L:
Volta 1: *6 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 2: todos os pontos em meia
Volta 3: *5 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 4: todos os pontos em meia
Volta 5: *4 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 6: todos os pontos em meia
Volta 7: *3 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 8: todos os pontos em meia
Volta 9: *2 em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 10: todos os pontos em meia
Volta 11: *1 em meia, 2 pontos juntos em meia *
Volta 12: *2 pontos juntos em meia*


XL:
Volta 1: *7 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 2: todos os pontos em meia
Volta 3: *6 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 4: todos os pontos em meia
Volta 5: *5 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 6: todos os pontos em meia
Volta 7: *4 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 8: todos os pontos em meia
Volta 9: *3 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 10: todos os pontos em meia
Volta 11: *2 em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 12: todos os pontos em meia
Volta 13: *1 em meia, 2 pontos juntos em meia *
Volta 14: *2 pontos juntos em meia*

   Corte o fio, deixando uma ponta longa. Coloque a agulha de coser lã e faça-a passar pelos pontos restantes. Puxe firmemente e aperte.
   Costure e remate.




A slouchy hat 

Material:
- Circular 4mm needles
- 1 skein in the desired color (130 m). I used Schachenmayr Bravo
- 1 stitch marker
- 1 yarn needle


   Cast on 62 (728896108) stitches and join to work in the round. Place the stitch marker at the beginning of the round.

   Work *K2, P2* until the end of the round.

   Repeat for more 19 rounds. for a total of 20 rounds.

   Switch to stockinette stitch until the hat measures 16 (18, 22, 24, 26) cm from the cast on edge.


Start decreasing:

XS:
Round 1: K3, K2tog, repeat to end of round.
Round 2: K all stitches
Round 3: K2, K2tog, repeat to end of round.
Round 4: K all stitches
Round 5: K1, K2tog, repeat to end of round.
Round 6: K2tog to end of the round


S:
Round 1: K4, K2tog, repeat to end of round.
Round 2: K all stitches
Round 3: K3, K2tog, repeat to end of round.
Round 4: K all stitches
Round 5: K2, K2tog, repeat to end of round.
Round 7: K all stitches
Round 8: K1, K2tog, repeat to end of round.
Round 9: K2tog to end of the round

M:
Round 1: K5, K2tog, repeat to end of round.
Round 2: K all stitches
Round 3: K4, K2tog, repeat to end of round.
Round 4: K all stitches
Round 5: K3, K2tog, repeat to end of round.
Round 6: K all stitches
Round 7: K2, K2tog, repeat to end of round.
Round 8: K all stitches
Round 9: K1, K2tog, repeat to end of round.
Round 10: K2tog to end of the round


L:
Round 1: K6, K2tog, repeat to the end of the round.
Round 2: K all stitches
Round 3: K5, K2tog, repeat to end of round.
Round 4: K all stitches
Round 5: K4, K2tog, repeat to end of round.
Round 6: K all stitches
Round 7: K3, K2tog, repeat to end of round.
Round 8: K all stitches
Round 9: K2, K2tog, repeat to end of round.
Round 10: K all stitches
Round 11: K1, K2tog, repeat to end of round.
Round 12: K2tog to end of the round


XL:
Round 1: K7, K2tog, repeat to the end of the round
Round 2: K all stitches
Round 3: K6, K2tog, repeat to the end of the round.
Round 4: K all stitches
Round 5: K5, K2tog, repeat to end of round.
Round 6: K all stitches
Round 7: K4, K2tog, repeat to end of round.
Round 8: K all stitch
Round 9: K3, K2tog, repeat to end of round.
Round 10: K all stitches
Round 11: K2, K2tog, repeat to end of round.
Round 12: K all stitches
Round 13: K1, K2tog, repeat to end of round.
Round 14: K2tog to end of the round

   Cut yarn, leaving a long tail. Draw the tail through the remaining stitches. Pull snug to close the hole.
   Weave in ends. 

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Sobremesa assustadora!

   A noite mais assustadora do ano trouxe-nos uma sobremesa fresca e deliciosa, muito semelhante à do ano passado. Desta vez experimentei uma receita que encontrei no Arco Íris na cozinha. As quantidades rendem 4 doses.




2 ovos
75 g de açúcar
150 ml de leite
200 ml de natas
100 g de chocolate de culinária
1 colher de sobremesa de essência de baunilha
1 colher de café de café solúvel
sal q.b.
4 bolachas Oreo
Línguas de gato pequenas 
Lápis de pasteleiro branco ou castanho


Bata os ovos com o açúcar, até obter um creme uniforme e esbranquiçado.
Leve ao lume aas natas e o leite e deixe ferver. 
Verta um pouco da mistura de natas e leite no creme de ovos e misture bem. Adicione o restante. 
Verta tudo ra o tacho e adicione o café solúvel. Cozinhe a mistura em lume médio/alto durante cerca de 10 minutos, até a mistura engrossar.
Entretanto, pique o chocolate. 
Verta o creme de leite, natas e ovos sobre o chocolate e deixe repousar 5 minutos.
Findo esse tempo, misture com uma vara de arames, até obter um creme de chocolate homogéneo. 
Adicione uma pitada de sal e o extracto de baunilha, e misture bem.
Distribua o creme por quatro taças individuais e cubra com película aderente, em contacto com a superfície do creme. Coloque as taças no frigorífico durante 3 horas, no mínimo.
Na hora de servir, triture as bolachas Oreo e distribua pelas taças. 
Escreva nas línguas de veado "RIP" e decore as taças.

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

Halloween 2019

  Este ano, o Halloween encheu-nos a casa de morcegos. É sempre uma diversão aproveitar esta época para fazer algo diferente no que toca a decorara a casa e a mesa de um modo diferente.

   E nada mais simples: usámos um molde em vários tamanhos, uma cartolina preta e uma tesoura. Um serão inteiro a desenhar e a cortar et voilá

   Caso queiram fazer para o ano, deixo-vos o molde do morcego aqui












segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Tiramisú - receita na Bimby

receita é a do costume (em receita vencedora não se mexe!), apenas a adaptei à Bimby :-)



6 ovos
200 g de açúcar
500 g de queijo mascarpone
6 dl de café
300 g de palitos de champagne
Cacau em pó q.b.

   Parta os ovos, separando as gemas para uma tigela e as claras para outra.
   Junte metade do açúcar às gemas e bata com a batedeira até obter um creme.
   Adicione o queijo mascarpone e continue a bater até a mistura estar bem fofa e cremosa.
  Bata as claras com a batedeira e, quando começarem a fazer espuma, adicione o restante açúcar e continue a bater até estarem bem espessas.
   Envolva as claras delicadamente no creme de queijo e reserve.
   Perfume o café com um pouco de rum (apenas se tiver a certeza que nenhuma criança vai comer!) 
   Vá mergulhando os palitos à la reine na mistura de café à medida que os vai colocando, lado a lado, no recipiente onde vai servir a sobremesa.
   Cubra os palitos com o creme de queijo e por cima disponha outra camada de palitos embebidos em café. Repita a operação, terminando com uma camada de creme de queijo.
   Leve ao frio durante 1 h. Retire, polvilhe com o cacau e volte a colocar ao frigorífico durante, pelo menos, 4 horas. 



Na Bimby:
   Separe as gemas das claras.
   Bata as últimas em castelo. Quando começarem a fazer espuma, metade da quantidade do açúcar. Continue a bater até estarem bem espessas.
   Insira a borboleta. Coloque as gemas e açúcar e bata 6 minutos/ velocidade 4.
   Retire a borboleta. Adicione o mascarpone e bata 3 minutos/ velocidade 3.
   Envolva as claras delicadamente no creme de queijo e reserve.
   Perfume o café com um pouco de rum (apenas se tiver a certeza que nenhuma criança vai comer!) 
   Vá mergulhando os palitos à la reine na mistura de café à medida que os vai colocando, lado a lado, no recipiente onde vai servir a sobremesa.
   Cubra os palitos com o creme de queijo e por cima disponha outra camada de palitos embebidos em café. Repita a operação, terminando com uma camada de creme de queijo.
   Leve ao frio durante 1 h. Retire, polvilhe com o cacau e volte a colocar ao frigorífico durante, pelo menos, 4 horas. 

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Base de copos outonal

   A abóbora é rainha no outono combina com abóbora, não concordam? nas receitas da época, ou nos festejos de Halloween, ela está sempre presente.
   Então porque não usá-la também como uma base de copos? Gostei muito de um esquema da Ira Rott, mas achei-o demasiado pequeno e decidi adaptá-lo à ideia que tinha.



BASE DE COPOS OUTONAL

Material:
Agulha de 2,5 mm 
Fio 100% algodão

1ª Volta: Num anel mágico, faça 3 correntinhas seguidos de 11 pontos altos. Feche com 1 ponto baixíssimo. (12)

2ª Volta: 3 correntinhas, 1 ponto alto no mesmo ponto, * 2 pontos altos no ponto seguinte*. Feche com 1 ponto baixíssimo (24)

3ª Volta: 3 correntinhas, 1 ponto alto no mesmo ponto, *1 ponto alto, 2 pontos altos no ponto seguinte*. Feche com 1 ponto baixíssimo (36)

4ª Volta: 3 correntinhas, 1 ponto alto no mesmo ponto, *2 pontos altos, 2 pontos altos no ponto seguinte*. Feche com 1 ponto baixíssimo (48)

5ª Volta: 3 correntinhas, 1 ponto alto no mesmo ponto, *3 pontos altos, 2 pontos altos no ponto seguinte*. Feche com 1 ponto baixíssimo (60)

6ª Volta: 3 correntinhas, 2 pontos altos no mesmo ponto, salte 1 ponto, 1 ponto baixíssimo, 1 ponto baixíssimo no ponto seguinte, (3 correntinhas, 2 pontos altos no ponto seguinte,  salte 1 ponto,  1 ponto baixíssimo no ponto seguinte)*27. Deixe 4 pontos por trabalhar.

Corte a linha laranja e remate. 


Caule:
Junte o fio castanho no primeiro ponto que ficou por trabalhar.
1ª carreira: 1 correntinha, 4 pontos baixos, vire o trabalho.
2ª- 5ª carreira: 1 correntinha, 4 meios pontos, vire o trabalho.
Corte a linha e remate. 


Folha da videira:
Junte o fio verde no mesmo ponto onde rematou o foi laraja.
Faça 20 correntinhas.
Trabalhe 3 meios pontos altos no 2º ponto a contar da agulha. *3 meios pontos altos em cada uma das correntinhas*. 1 ponto baixíssimo no primeiro ponto. 
Corte a linha e remate. 




                                                           FALL COASTER

Material:
2,5  mm crochet hook
100% cotton yarn

Round 1: CIn a magic ring, h 3, 11 dc in magic ring. Join with a sl st (12)

Round 2: Ch 3, 1 dc in same st , 2 dc in next st*. Join with a sl st (24)

Round 3: Ch 3, 1 dc in same st, *1 dc in next st, 2 dc in next st*. Join with a sl st (36 )

Round 4: Ch 3, 1 dc in same st, *1 dc in next 2 sts, 2 dc in next st*. Join with a sl st (48)

Round 5: Ch 3, 1 dc in same st, *1 dc in next 3 sts, 2 dc in next st*. Join with a sl st (60)

Round 6: Ch 3, 2 dc in same st, skip 1 st, 1 sl st in next st, *(ch 3, 2 dc in same st, skip 1 st, 1 sl st in next st)* 27. Leave 4 sts unworked.

Fasten off orange yarn.


Steam
Join brown yarn.
Row 1: ch 1,4 sc, turn
Row 2 - 5: ch1, 4 sc, turn 
Fasten off.


Vine:
Join green yarn.
Ch 20. 
3 hdc in 3rd ch from the hook 3 shdc in each ch. 1 sl st in beggining st.
Fasten off.

sexta-feira, 18 de outubro de 2019

terça-feira, 15 de outubro de 2019

O primeiro gorro de 2019

E eis o resultado do primeiro gorro do inverno de 2017. Tal qual como o G. pediu. Temos cliente satisfeito :-) 




Gui's comfy hat

Material:
- Agulhas circulares de 4mm 
- 1 novelo de fio na cor pretendida (130 m). Usei Schachenmayr Bravo
-1 marcador /
- 1 agulha de costurar lã

Monte 108 malhas e junte-as em círculo tendo o cuidado de não torcer. Coloque um marcador no início da primeira volta.

 

Trabalhe *2 pontos em meia, 2 pontos em liga*, até ao fim da volta. 
Repita por mais 19 voltas.


Em seguida, trabalhe sempre em meia, até o trabalho ter cerca de 22 cm (desde o início). O total ronda as 54 voltas.

Comece a reduzir: 
Volta 1: *7 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 2: todos os pontos em meia
Volta 3: *6 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 4: todos os pontos em meia
Volta 5: *5 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 6: todos os pontos em meia
Volta 7: *4 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 8: todos os pontos em meia
Volta 9: *3 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 10: todos os pontos em meia
Volta 11: *2 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 12: todos os pontos em meia
Volta 13: *1 pontos em meia, 2 pontos juntos em meia*
Volta 14: *2 pontos juntos em meia*

Corte o fio, deixando uma ponta longa. Coloque a agulha de coser lã e faça-a passar pelos pontos restantes. Puxe firmemente e aperte.
Costure e remate.




Gui's comfy hat

Material:
- Circular 4mm needles
- 1 skein  in the desired color (130 m). I used Schachenmayr Bravo
- 1 stitch marker
- 1 yarn needle

Cast on 108 stitches and join to work in the round. Place the stitch marker at the beginning of the round.

Work *K2, P2* until the end of the round.
Repeat for more 19 rounds. for a total of 20 rounds

Switch to stockinette stitch until the hat measures 22cm from the cast on edge (54 round in total).

Start decreasing:
Round 1: K7, K2tog, repeat to the end of the round
Round 2: K all stitches
Round 3: K6, K2tog, repeat to the end of the round.
Round 4: K all stitches
Round 5: K5, K2tog, repeat to end of round.
Round 6: K all stitches
Round 7: K4, K2tog, repeat to end of round.
Round 8: K all stitches
Round 9: K3, K2tog, repeat to end of round.
Round 10: K all stitches
Round 11: K2, K2tog, repeat to end of round.
Round 12: K all stitches
Round 13: K1, K2tog, repeat to end of round.
Round 14: K2tog to end of the round

Cut yarn, leaving a long tail. Draw the tail through the remaining stitches. Pull snug to close the hole.
Weave in ends. 

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Winter is coming!

   Não sei como é com os vossos filhos, mas os meus perdem os gorros e as luvas todas. É incrível! Por isso, já é tradição começar a agulhar "forte e feio" por esta altura do ano, para ter stock suficiente para o frio que já se aproxima. 



quarta-feira, 9 de outubro de 2019

Muffins de chocolate


   Uma tarde fria de domingo, daquelas que convidam ao descanso dentro de portas e um pedido para um lanche mais guloso foram mote bastante para largar o tricot e ir para a cozinha. Meia hora bastou para que a casa ficasse envolvida num delicioso cheiro a bolinhos quentes!
   Esta receita será certamente para repetir muitas vezes, já que os miúdos adoraram estes bolinhos fofos e saborosos!





200 gr de farinha
140 gr de açúcar
150 gr de leite
125 gr de chocolate em pó
1 colher (chá) de fermento em pó
50 gr de manteiga
2 ovos


Na Bimby:
   Ligue o forno a 180ºC.
   Junte todos os ingredientes no copo e programe 30 segundos/ velocidade 5.
   Coloque a mistura em formas de papel e leve ao forno por 20 minutos.


Método tradicional:
   Ligue o forno a 180ºC.
   Junte todos os ingredientes  e bata bem até obter um preparado homogéneo.
   Coloque a mistura em formas de papel e leve ao forno por 20 minutos.


domingo, 25 de agosto de 2019

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Querida Kitty...

“Terça Feira, 1 de agosto de 1944.

Querida Kitty,"

 Assim começava, há 75 anos, a última entrada de diário de Anne...

 "(...) "Feixe de contradições." foi o fim da minha carta anterior e é o princípio desta. Podes, se faz favor, explicar-me exatamente o que é um "feixe de contradições"? O que significa "contradição"? Tal como tantas palavras, pode ser interpretada de duas maneiras: uma contradição imposta do exterior e uma imposta do interior. A primeira significa não aceitar as opiniões das outras pessoas, saber sempre mais, ter a última palavra; em suma, todas as características desagradáveis pelas quais sou conhecida. A última, pela qual não sou conhecida, é o meu segredo.
   Como já te disse muitas vezes, estou dividida em duas. Um dos lados contém a minha alegria exuberante, a minha irreverência, a minha alegria de viver e, acima de tudo, a minha capacidade de apreciar o lado mais ligeiro das coisas. Quero com isto dizer não ver nada de errado num namorico, num beijo, num abraço, numa anedota picante. Este lado de mim está geralmente à espreita para dominar o outro, que é muito mais puro, profundo e belo. Ninguém conhece o lado melhor de Anne, e é por isso que a maioria das pessoas não me suporta. Oh, consigo ser um palhaço divertido durante uma tarde, mas depois disso fica toda a gente farta de mim durante pelo menos um mês. Na verdade, sou aquilo que um filme romântico é para um pensador profundo: uma mera diversão, um interlúdio cómico, algo para esquecer rapidamente. Nada mau, mas também nada de especial. Odeio ter de te dizer isto, mas porque não hei-de admiti-lo se sei que é verdade? O meu lado mais leve, mais superficial ganhará sempre a dianteira ao lado mais profundo, e, portanto, vencerá sempre. Não imaginas quantas vezes tentei afastar esta Anne, que é apenas metade do ser conhecido por Anne – vencê-la, escondê-la. Mas não resulta, e eu sei porquê.
   Tenho medo de que as pessoas que me conhecem como sou normalmente descubram que tenho outro lado, um lado melhor e mais belo. Tenho medo que trocem de mim, de que me achem ridícula e sentimental e não me levem a sério. Estou acostumada a não ser levada a sério, mas é só a Anne “alegre” que está habituada a isso e o consegue aguentar; a Anne “mais profunda” é demasiado fraca. Se colocar a Anne boa sob as luzes da ribalta, nem que seja por quinze minutos, ela fecha-se na sua concha assim que lhe pedirem para falar, e deixa ser a Anne número um a tratar da conversa. Antes de eu me dar conta, já desapareceu.
   Por isso a Anne simpática nunca é vista na companhia de outras pessoas. Nunca fez uma única aparição, embora seja quase sempre ela a subir ao palco quando estou sozinha. Sei exatamente como gostaria de ser, como sou, ... por dentro. Mas infelizmente só sou assim comigo própria. E talvez seja por isso – não, tenho a certeza de que é por isso – que penso em mim como uma pessoa feliz por dentro, enquanto os outros pensam em mim como feliz por fora. Sou guiada pela Anne pura no meu interior, mas por fora sou apenas uma cabritinha brincalhona puxando pela sua corda.
   Como já te disse, o que digo não é o que sinto, e é por isso que tenho reputação de ser uma doida e uma namoradeira, armada em esperta e uma ávida leitora de romances. A Anne despreocupada ri, dá uma resposta irreverente, encolhe os ombros e finge não se ralar com nada. A Anne reage precisamente da maneira oposta. Para ser completamente honesta, tenho de admitir que na verdade isto é muito importante para mim, que estou a esforçar-me muito para mudar, mas tenho sempre pela frente um inimigo muito mais poderoso.
   Uma voz dentro de mim soluça:
- Vês, foi nisto que tu te tornaste! Estás rodeada por opiniões negativas, expressões consternadas e rostos trocistas, pessoas que não gostam de ti, e tudo porque não ouves os conselhos do teu próprio lado bom".
   Acredita, bem gostava de ouvir, mas não resulta, pois se fico sossegada e séria, toda a gente pensa que estou a preparar alguma e tenho de me salvar com uma piada. Já para não falar da minha própria família, que pensa logo que devo estar doente, me entope de aspirinas e sedativos, me apalpa o pescoço e a testa para ver se tenho febre, me faz perguntas sobre os intestinos e me critica por estar mal disposta. Por fim, não aguento mais. Quando começam todos a cair-me em cima fico zangada, depois triste e, finalmente, acabo com o coração virado do avesso, a parte má para fora e a parte boa para dentro, e continuo a tentar encontrar uma maneira de me tornar naquilo que gostaria de ser, e que poderia ser se... se não existisse mais ninguém no mundo... (...)"

 Tua Anne M. Frank

Na manhã de 4 de agosto de 1944, 25 meses de se terem escondido no anexo secreto, Anne e os restantes ocupantes eram descobertos por agentes da Gestapo…


quarta-feira, 12 de junho de 2019

12 de junho de 1929

   A 12 de junho de 1929, há precisamente 90 anos, nascias em Frankfurt, Anne.



   Também o teu diário nascia nesta data, mas em 1942, no dia do teu 13° aniversário.
"(...) Espero que te possa confiar tudo a ti; o que, até agora, nunca pude fazer a ninguém, e espero que venhas a ser um grande amparo para mim (...)", escreveste.



   Naquele dia, não podias imaginar o impacto que o teu diário iria ter na vida de tanta gente por esse mundo fora. Não sonhavas sequer que, um dia, ele iria fazer parte da lista das "Memórias do Mundo" e declarado património da Humanidade pela UNESCO! Que grande feito, minha amiga!



   Uma ideologia maquiavélica e destrutiva ditou o teu destino, e o destino de tantas outras pessoas.    Mas, tal como desejavas, continuas a viver, querida Anne! A força das tuas palavras é intemporal!



   Onde quer que estejas, este dia é teu! ❤️



"(...)Uma pessoa que não escreva, não sabe o quanto é maravilhoso; eu costumava lamentar-me por não saber desenhar, mas agora estou cheia de alegria por, ao menos saber escrever. E, se não tiver talento para escrever livros ou artigos de jornal, posso escrever só para mim. Mas quero mais que isso. (...) Não quero ter vivido em vão como as outras pessoas. Quero ser útil para as pessoas, mesmo aquelas que não conheci. Quero continuar a viver depois da morte! E é por isso que estou tão grata a Deus por me ter dado este dom que posso usar para me exprimir tudo o que esta dentro de mim. Quando escrevo, consigo libertar-me das preocupações. (...)" 
                                                                                                             (Anne Frank, 4 de Abril de 1944)




segunda-feira, 3 de junho de 2019

segunda-feira, 27 de maio de 2019

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Uma visita ao Museu Fábrica de Schindler

   Esta foi a minha segunda visita a este museu - a primeira foi no verão passado. Desta vez, regressei com os meus filhos. Aprender história a viajar, este é o lema de vida desta família! :-)
   O Museu localiza-se na fábrica original. Na altura tinha a denominação de "Fabryka Emalia Oskara Schindlera". Após o fim da guerra, foi nacionalizada e transformada em fornecedora de material de telecomunicações. Em 2002, a empresa fechou as portas, e três anos mais tarde, o edifício foi comprado e, mais tarde, transformado em museu, que é financiado apenas com verbas da cidade.
   A exposição permanente, intitulada "Cracóvia: ocupação entre 1939 e 1945", conta a história da cidade sob o domínio nazi. Toda a história da invasão, durante a Segunda Guerra, é contada de forma cronológica, desde o final de 1939 até à “liberdade” da época comunista na qual se viu submersa com o fim da guerra.

   A exposição começa numa sala repleta de fotografias, seguida de uma outra que retrata a Cracóvia dos anos 30.














  Todavia, essa atmosfera descontraída do pré-guerra, termina em 1939, quando os soldados alemães invadem Cracóvia. 
   Os alemães não tardaram a impôr as suas regras. Desta forma, começaram as proibições aos judeus, que não podiam andar de transportes, nem mesmo frequentar locais públicos, como bares, cafés, restaurantes, cinemas, lojas e mesmo parques!




   Os nomes de ruas e praças foram alterados, como foi o caso da praça principal da Cracóvia, que passou a chamar-se Alter Markt, em alemão, e posteriormente Adolf Hitler Platz.






   As universidades foram fechadas e os foram presos e deportados para os Campos de Concentração de Dachau e Sachsenhausen, na Alemanha.




   Em março de 1941, foi criado oficialmente o Gueto de Cracóvia. Cerca de 15 mil judeus foram obrigados a viver numa área onde, anteriormente, habitavam apenas 3 mil pessoas. Consequentemente, em cada apartamento moravam 4 ou 5 famílias!














  Os judeus foram obrigados a construir o muro que cercava o gueto. Já reparam nas fotos? o muro tinha o formato de lápides.. maldade levado ao extremo!
   Os judeus apenas tinham permissão para sair para trabalhar. Escapar? Quase impossível, já que haviam apenas 4 entradas e saídas sempre muito bem controladas pelos Nazis.







 




   Em 1942, os alemães resolveram fechar o gueto. Todos os judeus foram obrigados a deixá-lo, sendo enviados para os campos de concentração. Os que eram julgados inaptos para o trabalho iam direto para um campo de extermínio. Os que eram julgados aptos, como era o caso dos empregados de Schindler, iam para o Campo de Trabalho forçado de Plaszow.







   Quanto a história de Oskar Schindler, ela é contada no espaço onde antigamente funcionava o seu  escritório. 









No meio desta sala, há um grande cubo transparente, cheio de panelas, vasilhas e pratos de metal, que simbolizaa história do empresário e de seus funcionários. Dentro do cubo, estão os nomes de aproximadamente 1.200 trabalhadores judeus, cujas vidas foram salvas por Schindler.




Room of choises:




A exposição acaba com as fotos dos judeus que se salvaram por trabalhar na fábrica.







   Este é, sem dúvida, um dos lugares mais populares de Cracóvia e uma visita é imprescindível!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...